Os perigos da maionese feita em casa.

5 petiscos para serem servidos com a maionese.
setembro 30, 2017
2 tipos de torradinhas feitas em casa: com orégano, e maionese maiSabor
janeiro 30, 2019

Os perigos da maionese feita em casa.

O conhecimento dos perigos da maionese caseira é inegável, assim como seu uso por muitos estabelecimentos e a grande aceitação dos consumidores que buscam molhos com sabor para enriquecer os mais variados pratos. A maionese feita em casa, porque contém temperos e mais gordura e ovos do que a maionese industrial é mais saborosa, mas o risco de contaminação é alto porque os ovos são adicionados não cozidos à mistura.

Os ovos crus são a principal fonte de contaminação de uma bactéria chamada Salmonella, responsável pela salmonelose, uma infecção intestinal que geralmente dura de 4 a 7 dias e permite que muitos pacientes se recuperem sem a necessidade de antibióticos. No entanto, quando a diarreia é grave, a hospitalização e o uso de antibióticos podem ser necessários, além da hidratação venosa e outros cuidados.

Crianças, gestantes, idosos e pessoas com baixa imunidade são mais suscetíveis a formas graves da doença quando uma infecção é transmitida ao sangue ou a outros órgãos do corpo, o que pode levar à morte. Imediato com os antibióticos apropriados. Nos últimos anos, de acordo com os dados epidemiológicos de alguns Estados, a resistência das salmonelas aos antibióticos aumentou significativamente, o que agravou a gravidade de certas infecções.

Os principais sintomas da salmonelose são dor abdominal, diarreia, calafrios, febre, náusea, vômito, desconforto 12 a 72 horas após a ingestão de alimentos contaminados e sangramento nas fezes.

infecção por salmonella

infecção por salmonella

Devido ao risco de consumir maionese caseira, foi emitida uma proibição no estado de Minas Gerais que proíbe sua comercialização em bares, restaurantes e cafés que só podem oferecer maionese industrializada, individualmente, em sacos. A resolução descreve como violação da legislação sanitária o chefe do estabelecimento que insiste em sua comercialização e, além das penalidades previstas pelo Código Sanitário do Estado de Minas Gerais: sanções para fins educativos, arrecadação da licença de saúde e até mesmo a proibição do estabelecimento: o proprietário também é responsável pelas sanções previstas pelo código penal.

Além da contaminação dos ovos crus, é importante lembrar que a falta de higiene no manuseio da maionese processada também pode levar a problemas de saúde. Quem não conhece alguém que tenha “corrido mal” enquanto come um salpicão ou uma salada de batata com maionese, tão comum na nossa região? Não podemos esquecer que quando lidamos com alimentos sem cuidados, introduzimos bactérias e maionese, associadas a uma alta temperatura ambiente típica do nosso verão, proporcionando um ambiente favorável ao seu crescimento, tornando-se um risco para saúde.

Então, fica o alerta sobre o tema:

1) Ao experimentar sua comida, simplesmente concorde em usar envelopes de maionese e verificar o prazo de validade.

2) Não coma alimentos que contenham ovos crus, amarelos ou brancos.

3) Lave as mãos ao manusear os alimentos, não misture as matérias-primas com a cozedura para reduzir o risco de contaminação e guarde os alimentos no frigorífico.

4) Quando você pegar os ovos, guarde-os na geladeira, o que reduz a proliferação de bactérias.

5) Evite o contato de ovos com outros alimentos nas placas, copos e talheres utilizados para prepará-los.

 

A vigilância Sanitária é responsável por fiscalizar e fazer às inspeções e notificações nos estabelecimentos, mas entendemos que o consumidor informado é um elemento-chave na redução do risco de doenças relacionadas à alimentação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *